Cai na Prova – #FUVEST

Está se preparando para o vestibular?

Então é bom ficar por dentro da lista de livros obrigatórios para as provas, e nós, do blog Universos de Papel te damos essa forcinha 😀

Oi, oi, oi todo mundo!!!!

Em meu último post de sexta-feira, a primeira matéria da série “As Mais Inusitadas Profissões Que Encontramos Nos Livros”, eu expliquei que estou com várias ideias diferentes e interessantes para compartilhar com vocês, e para não ficar presa por muito tempo em uma só série, resolvi intercalá-las a cada semana.

Por isso, a partir de hoje, vamos dar uma atenção especial às leituras exigidas nos principais vestibulares do Brasil e vamos começar perto da que vos escreve. Vamos falar de livros para a FUVEST 2017!

PhotoGrid_1464394730901O calendário oficial da FUVEST para o vestibular 2017 já foi divulgado e, aos interessados, tomem nota:

CALENDÁRIO FUVEST 2017

Início das inscrições 19 de agosto
Último dia das inscrições 8 de setembro
Prova da primeira fase 27 de novembro
Provas da segunda fase 8 a 10 de janeiro de 2017

Com nove clássicos na lista de obras obrigatórias, caso você esteja pensando em se candidatar a uma vaga na USP, o melhor é começar a organizar as leituras o mais rápido possível!

Sem mais delongas, porque tempo é dinheiro, serão esses os livros cobrados dos vestibulandos:

Iracema – José de Alencar

IracemaO romance conta o amor de um branco, Martim Soares Moreno, pela índia Iracema, a virgem dos lábios de mel. Entre guerras e conflitos, ciúmes e disputa de poder, a história desse amor proibido tem como pano de fundo a cultura indígena e a miscigenação do branco com o índio.

Em Iracema, Alencar criou uma explicação poética para as origens de sua terra natal, daí o subtítulo da obra – “Lenda do Ceará”. A “virgem dos lábios de mel” tornou-se símbolo do Ceará, e seu filho, Moacir, nascido de seus amores com o colonizador português Martim, representa o primeiro cearense, fruto da união das duas raças. A história é uma representação do que aconteceu com a América na época de colonização europeia.

Clique aqui e leia agora o primeiro capítulo de Iracema

Memórias Póstumas de Brás Cubas – Machado de Assis

download-gratis-bras-cubasPublicado em 1881, “Memórias póstumas de Brás Cubas” é um dos mais famosos romances de Machado de Assis, um marco na literatura brasileira. Narrado por um defunto autor, o livro aborda as experiências de um filho abastado da elite brasileira do século XIX, com uma voz irônica que se dirige constantemente ao leitor, a trama começa com o enterro de Brás Cubas, passa por seus delírios, volta à infância do personagem e, de forma mais ou menos linear, traz para o centro da cena vários episódios da vida desse excêntrico narrador.

Clique aqui e leia agora o primeiro capítulo de Memórias Póstumas de Brás Cubas

O Cortiço – Aluísio Azevedo

A obra busca recriar a realidade dos agrupamentos humanos sujeitos à influência da raça, do meio e do momento histórico. o-cortico-blog-gamesO predomínio dos instintos no comportamento do indivíduo, a força da sensualidade da mulher mestiça, o meio como fator determinante do comportamento são algumas das teses naturalistas defendidas pelo autor ao lado de denúncias sociais. O protagonista do romance é o próprio cortiço, onde se acotovelam lavadeiras, trabalhadores de pedreira, malandros e viúvas pobres.

Clique aqui e leia agora o primeiro capítulo de O Cortiço

A Cidade e as Serras – Eça de Queirós

Jacinto é um grande defensor da civilização. Pensa que um homem só pode ser feliz com a presença de máquinas, de tecnologia, de veículos e de multidões. José Fernando, depois de sete anos na província, encontra Jacinto e percebe as inutilidades que a idéia de civilização gerava e como ela desgastava a vida do amigo. A cidade e as serras, publicada em 1901, um ano depois da morte de Eça de Queirós, é uma sátira ao culto da tecnologia.

a cidadeO autor, considerado o maior romancista de seu país, inaugurou o Realismo em Portugal. O conjunto de sua obra, incluindo artigos e cartas, traça um panorama crítico da cultura e dos programas sociais e políticos de seu tempo. Seu estilo, que modernizou a prosa portuguesa, é límpido e preciso, e seu tom, cáustico e mordaz, desnuda os vícios da sociedade portuguesa do fim do século XIX. ‘A cidade e as serras’ é uma deliciosa sátira dos progressos ainda canhestros dos tempos modernos e reencontro do romancista com a paisagem de sua meninice. Vê-se também aí, no jogo dos contrastes, o apego nostálgico à essencialidade honesta da vida ainda natural e limpa do interior.

Clique aqui e leia agora o primeiro capítulo de A Cidade e as Serras

Capitães da Areia – Jorge Amado

capitãesPublicado em 1937, pouco depois de implantado o Estado Novo, este livro teve a primeira edição apreendida e exemplares queimados em praça pública de Salvador por autoridades da ditadura. Em 1940, marcou época na vida literária brasileira, com nova edição, e a partir daí, sucederam-se as edições nacionais e em idiomas estrangeiros. A obra teve também adaptações para o rádio, teatro e cinema. Documento sobre a vida dos meninos abandonados nas ruas de Salvador, Jorge Amado a descreve em páginas carregadas de beleza, dramaticidade e lirismo.

Clique aqui e leia agora o primeiro capítulo de Capitães da Areia

Vidas Secas – Graciliano Ramos

O que impulsiona os personagens é a seca, áspera e cruel, e paradoxalmente a ligação telúrica, afetiva, que expõe naqueles seres em retirada, à procura de meios de sobrevivência e um futuro. Apesar desse sentimento de transbordante solidariedade e compaixão com que a narrativa acompanha a miúda saga do vaqueiro Fabiano e sua gente, o autor contou: “Procurei auscultar a alma do ser rude e quase primitivo que mora na zona mais recuada do sertão… os meus personagens são quase selvagens… pesquisa que os escritores regionalistas não fazem e nem mesmo podem fazer… porque comumente não são familiares com o ambiente que descrevem…vidas secas

Fiz o livrinho sem paisagens, sem diálogos. E sem amor. A minha gente, quase muda, vive numa casa velha de fazenda. As pessoas adultas, preocupadas com o estômago, não tem tempo de abraçar-se. Até a cachorra [Baleia] é uma criatura decente, porque na vizinhança não existem galãs caninos”. VIDAS SECAS é o livro em que Graciliano, visto como antipoético e anti-sonhador por excelência, consegue atingir, com o rigor do texto que tanto prezava um estado maior de poesia.

Clique aqui e leia agora o primeiro capítulo de Vidas Secas

Claro Enigma – Carlos Drummond de Andrade

Publicado em 1951, Claro enigma representa um momento especial na obra de Drummond. Com uma dicção mais clássica, o poeta revisita formas que haviam sido abandonadas pelo Modernismo (como o soneto, modalidade que fora motivo de chacota entre as novas gerações literárias), afirma seu amor pela poesia de Dante e Camões e busca uma forma mais difícil, mas sem jamais abandonar o lirismo e a agudeza de sua melhor poesia.
O livro abre com a epígrafe do francês Paul Valéry, “Les evenements m’ennuient” (Os acontecimentos me entediam). Embora eloquente, a citação não corresponde perfeitamente à realidade, pois Drummond não vira completamente as costas para a vida mais pulsante. Pelo contrário: a experiência aparece em cada verso do livro, ainda que escamoteada por uma lírica que não se entrega ao fácil graças a uma visão algo desiludida do tempo e dos homens.

ClaroEnigma_FL_1200VUMas há, claro, espaço para o lirismo do amor, como no célebre poema “Amar”, que começa com os versos: “Que pode uma criatura senão, / entre criaturas, amar?”. A lira romântica de Drummond está bem afinada neste livro, como pode ser comprovado pela leitura de poemas como “Rapto” e “Tarde de maio”. A mineiridade também é lembrada no livro, em poemas vazados pela nostalgia ou que recontam episódios antigos da terra natal do autor.
Claro enigma também conta com “A máquina do mundo” – eleito o melhor poema brasileiro do século XX por um grupo de críticos e especialistas consultados pelo jornal Folha de S.Paulo. Escrito em tercetos, é simultaneamente uma meditação profunda e uma espécie de épica íntima sobre a passagem do tempo e o conhecimento da vida como acontecimento breve e muitas vezes fortuito. Um clássico.

Clique aqui e leia agora o primeiro capítulo de Claro Enigma

Sagarana – João Guimarães Rosa110_731-prosa-adir

Nove contos que revolucionaram a literatura regionalista no Brasil. Em histórias como “O burrinho pedrês”, “Corpo fechado” e “A hora e vez de Augusto Matraga”, o sertão mineiro cria vida na linguagem mágica inventada pelo gênio de Guimarães Rosa.

Clique aqui e leia agora o primeiro capítulo de Sagarana

Mayombe – Pepetela

500_9789722053044_pepetela_mayombe

Publicado originalmente em 1980, ‘Mayombe’ foi escrito durante a participação de Pepetela na guerra de libertação de Angola, e retrata o cotidiano dos guerrilheiros do MPLA (Movimento Popular de Libertação de Angola) em luta contra as tropas portuguesas. O romance se propõe a abordar não somente as ações, mas os sentimentos e reflexões daquele grupo, as contradições e conflitos que permeavam sua organização e as relações estabelecidas entre pessoas que buscavam construir uma nova Angola livre da colonização.

Clique aqui e leia agora o primeiro capítulo de Mayombe





São esses, então os livros que precisam entrar na tua lista de próximas leituras se você pretende se candidatar a uma vaga na USP!

Espero que o post tenha sido útil!

Bom estudo

Boa sorte

e…

Para você, sempre…

Boas Leituras!

♥♥♥ Xoxo S2 S2 S2 ♥♥♥

Keity Barros

 

Fontes Pesquisadas:

→FUVEST 

→Guia do Estudante 

→Portal Domínio Público 

→Skoob 

→Uol Vestibular 

→Wikipédia 

Anúncios

3 comentários sobre “Cai na Prova – #FUVEST

  1. Oi Keity! De todos esses eu só li “Memórias Póstumas de Brás Cubas”, e lembro que foi porque a escola pediu. Foi uma leitura muito difícil, mas no final das contas gostei da história.
    Já vi muita gente falar (bem) desses outros títulos, mas infelizmente ainda tenho muita resistência quanto aos clássicos nacionais :/
    Espero um dia ter maturidade para lê-los.

    ah! aproveito pra perguntar se vcs gostariam de participar de uma TAG que vou postar. se chama “química literária” 🙂

    Beijoos

    Curtido por 1 pessoa

    1. Oi Liviaaa!!!
      Eu te entendo perfeitamente. Tbm tenho uma certa resistência com clássicos nacionais e para falar a verdade, ainda não li nenhum desses que está na lista :(. Mas coloquei como meta literária para este ano ler alguns livros desse gênero para tentar me habituar aos pouquinhos, vamos ver como será a experiência hahaha…

      Claro que gostariamos!!!
      Com certeza vamos adorar!
      Obrigada por lembrar de nós!
      Bjinhuss

      Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s