Champion [#3 Trilogia Legend] – Marie Lu (Resenha)

Do Caos e da Lenda Surgirá um Campeão

→ Champion é o último livro da trilogia de Marie Lu, por isso essa resenha pode conter eventuais spoilers de Legend e Prodigy, os livros anteriores da série.

Leia agora as resenhas dos livros anteriores da Trilogia Legend, clicando aqui! 

PhotoGrid_1464641645090Clique aqui para ler agora a sinopse de Champion

O último livro de uma série é sempre um dos mais cobrados e mais carregados de expectativas e pressões dos seus leitores. Dificilmente todos ficarão satisfeitos com a resolução dos problemas acumulados ao longo do tempo e com certeza todos esperam encontrar um final épico e marcante, que sele de forma memorável o destino daqueles personagens que fizeram parte da nossa vida por meses ou anos a fio, e eu posso adiantar que Champion atendeu muito bem minhas altas expectativas, para não dizer que as superou!

O livro tem início com um salto temporal desde o final de Prodigy quando, para não fazer June sofrer por causa do estado terminal de sua doença, Day decide interromper o relacionamento e se afastar, indo morar em outra cidade com o irmão sem que a garota saiba o real motivo de seu afastamento.

Nessa nova fase de sua vida, depois de afirmar publicamente seu apoio a Anden, além de adorado pelo povo, Day é também o garoto propaganda do governo o que garante a ele e ao pequeno Eden uma vida muito mais confortável, segura e totalmente diferente do que era em Legend, embora já que nada nessa vida pode ser perfeito o tumor em seu cérebro venha roubando-lhe toda a saúde e vitalidade com dores de cabeça frequentes e agressivas, e deixando-o cada vez mais debilitado, quando o diagnóstico médico lhe dá poucos meses de vida, apesar de todos os tratamentos médicos de qualidade pelos quais tem passado.

PhotoGrid_1464641264103Enquanto isso June, que volta a ser a garota prodígio da Republica, tem percorrido um longo caminho como sombra (aprendiz) de Andem, o jovem Eleitor, a fim de se tornar a Primeira Cidadã no futuro, o que, inevitavelmente tem aproximado muito os dois nos últimos tempos.

Embora Anden tenha lutado muito por isso e já estivesse bem próximo de conseguir um tratado de paz com as Colônias, uma nova e mortal versão da Praga está se espalhando rapidamente pelas fronteiras entre República e Colônias e a desconfiança de se tratar de um vírus criado e espalhado pela República ameaça a tão sonhada tranquilidade entre os dois países, o que desestabiliza as negociações e agora as Colônias exigem que a cura seja encontrada rapidamente ou uma guerra sem precedentes devastará o lar de June e Day.

Por isso, depois de vários meses sem se falarem, os dois precisam se juntar novamente em busca da cura e de uma salvação para a República e para isso contam com o apoio muito bem vindo dos Patriotas que voltam com a corda toda e, mais do que nunca, fazem jus ao seu nome, além de conseguirem mobilizar todo o povo da República a lutar por sua nação.

“Não importa o quanto esse país está deformado, ele continua sendo a terra natal dessas pessoas. Precisamos que elas nos ajudem a lutar por ela.”

p203

Preciso confessar que os protagonistas despertaram pouquíssima empatia em mim. Não consegui me conectar com eles, principalmente com Day, personagem que eu gostava tanto no início da saga. Embora eu consiga entender seu rancor pela República, toda sua mágoa e excesso de rebeldia acabaram me cansando um pouco.

Por incrível que pareça, o único que realmente me preocupava e quem eu fiquei a todo o momento durante a leitura pensando que realmente me deixaria chateada, se morresse, foi Eden, o irmãozinho de Day que me encantou com sua coragem e inteligência.

PhotoGrid_1464641478599Apesar desse detalhe, gostei muito do final. Achei surpreendentemente bom! Quem acompanhou minhas resenhas sabe que comentei tanto aqui no blog quanto em vídeo, no canal, que desde o primeiro livro achava muito surreal pensar em um final adocicado, colorido, feliz e estrelado para Day e June depois dela ter sido a responsável direta pela morte da família dele. Não achava possível que um relacionamento desse tipo desse certo sem mágoas ou rachaduras na vida real e tinha medo que na trama de Marie Lu isso fosse jogado para debaixo do tapete e ignorado como uma simples lembrança desagradável que todos os casais tem em comum. Pois a autora conseguiu construir um final inesperado e bastante satisfatório. E quando digo isso, não estou entrando no mérito “feliz/triste” da questão e sim no que me parecia imprevisível mas ao mesmo tempo fazia muito sentido.

“Permita que ele viva. Estou disposta a sacrificar qualquer coisa para que isso aconteça.” p285

Acho que posso dizer que Champion foi meu livro favorito na trilogia. O ritmo acelerado, tenso e empolgante acompanha toda a escrita de Marie Lu do primeiro ao último volume, mas as aventuras vividas aqui e o desfecho da série colocaram esse último livro no topo da minha lista de distopias marcantes.

“Exatamente a quem você é leal, e por quê?” p159

PhotoGrid_1464640961564

Clique aqui e leia agora um trecho de Champion





Título: Champion – Do Caos e da Lenda Surgirá um Campeão

Título Original: Champion – A Legend Novel

Autor: Marie Lu

Editora: Rocco

Páginas: 302

Ano de Publicação: 2013

Gênero: Aventura /YA – Jovem Adulto / Distopia

Avaliação: 5 ESTRELAS

Para você, sempre…

Boas Leituras!

♥♥♥ xoxo S2 S2 S2 ♥♥♥

Keity Barros

Anúncios

Um comentário sobre “Champion [#3 Trilogia Legend] – Marie Lu (Resenha)

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s