Cai na Prova #UNICAMP

Está se preparando para o vestibular?

Então é bom ficar por dentro da lista de livros obrigatórios para as provas, e nós, do blog Universos de Papel te damos essa forcinha 😀

Oi, oi, oi todo mundo!

Tudo bem com vocês???

Como a maioria de vocês já deve estar sabendo, estamos dedicando uma sexta-feira por mês para falar sobre as listas oficiais de leituras obrigatórias para alguns dos principais vestibulares. No primeiro post da série falamos sobre a FUVEST, se não viu, clica aqui 😉

E hoje, vocês vão ficar por dentro do conteúdo literário exigido para quem está pensando em concorrer a uma vaga na UNICAMP (Universidade Estadual de Campinas).

CAI NA PROVA #UNICAMPA COMVEST, comissão responsável pelos vestibulares da UNICAMP divulgou o calendário oficial para as inscrições e provas.

Aqui óh:

CALENDÁRIO VESTIBULAR UNICAMP 2017

Inscrições e Pagamento da Taxa de Inscrição 1 de agosto a 1 de setembro/2016
Provas de Habilidades Específicas de Música Etapa I – 2 a 9 de setembro /2016

Etapa II – 9 a 10 de outubro/2016

Prova da primeira fase 20 de novembro/2016
Provas da segunda fase 15, 16 e 17 de janeiro de 2017

Quem achou a lista de 9 leituras da FUVEST muito puxada é porque ainda não sabe que a COMVEST exige 12 LIVROSSS!!!

Com uma boa diversidade de gêneros que abrangem romance, poesia, peça teatral e contos, as obras contam ainda com autores do Brasil, África e Portugal

Vamos então começar para não terminar muito tarde haha

Sigam-me os bons!

images♥♥Poesia


Sonetos – Luís de Camões

Os sonetos foram dispostos segundo a ordem alfabética e considerando os seus primeiros versos.

A fermosura desta fresca serra (1668 – soneto 136) Cá nesta Babilônia? donde mana (1616 – soneto 120) Mudam-se os tempos, mudam-se as vontades (1595 – soneto 092) Pede o desejo, Dama, que vos veja (1595 – soneto 008)
Ah! Minha Dinamene! Assi deixaste (1685-1668 – soneto 101) Como quando do mar tempestuoso (1598 – soneto 043) Na ribeira do Eufrates assentado (soneto 129) Quando de minhas mágoas a comprida (soneto 100)
Alma minha gentil, que te partiste (1595 – soneto 080) De vos me aparto, ó vida! Em tal mudança (1595 – soneto 057) O Céu, a terra, o vento sossegado (1616 – soneto 106) Sete anos de pastor Jacob servia (1595 – soneto 030)
Amor é um fogo que arde sem se ver (soneto 005) Enquanto quis Fortuna que tivesse (1595 – soneto 001) O dia em que eu nasci, moura e pereça (1860 – v) Transforma-se o amador na cousa amada (1595 – soneto 020)

Busque Amor novas artes, novo engenho (l595 – soneto 003)

Esta lascivo e doce passarinho (1595 – soneto 014) O tempo acaba o ano, o mês e a hora (1668 – soneto 133) Vencido está de amor meu pensamento (1685-1668 – soneto 145)

Clique aqui e leia agora A Fermosura Desta Fresca Serra, primeiro soneto listado

Poemas Negros – Jorge de Lima

Em virtude da edição da Editora Record estar fora de catálogo, decidiu-se por uma seleção nominal dos poemas que constam na edição citada e que poderão ser consultados em outras edições. Cumpre esclarecer que na referida edição de Poemas negros (2007), além dos poemas do livro homônimo, encontram-se mais três livros: Novos poemas, Poemas escolhidos e Livro de sonetos.

Para o vestibular de 2017 são leitura obrigatória os seguintes poemas:

I – Novos Poemas

II – Poemas Escolhidos

III – Poemas Negros

IV – Livro de sonetos

Essa negra Fulô

Nordeste Bicho encantado Os seus enfeites

Comidas

Enchente

Banguê

Apenas eu te aceito, não te quero

Santa Rita Durão

O filho pródigo

História

Sinto-me salivado pelo Verbo

Minha sombra

Poema relativo

Democracia

Vereis que o poema cresce independente

Flos Sanctorun

Mulher proletária

Retreta do vinte

Este poema de amor não é lamento

Meus olhos

Poema do nadador

Quichimbi sereia negra

Nas noites enluaradas cabeleiras

Cantigas

Poema à bem-amada

Zefa lavadeira

Nas noites enluaradas as olheiras

 

Benedito Calunga

 

Ladeira da Gamboa

 

Passarinho cantando

 

Exu comeu tarubá

 

Ancila negra

 

O banho das negras

 

Cachimbo do sertão

 

Obambá é batizado

 

Poema de encantação

 

Rei é Oxalá, rainha é Iemanjá

 

Foi mudando, mudando

 

Janaína

 

Quando ele vem

 

Xangô

 

Pra donde que você me leva

 

Maria Diamba

Clique aqui e leia agora Essa Negra Fulô, primeiro poema listado

Imagem1♥♥Contos♥♥


Amor (Livro Laços de Família) – Clarice Lispector⇐

⇒A Hora e a Vez de Augusto Matraga (Livro Sagarana) – Guimarães Rosa

Negrinha (Livro Negrinha) – Monteiro Lobato⇐

Clique aqui e leia agora o primeiro capítulo de Sagarana

3125363Teatro♥♥


Lisbela e o Prisioneiro – Osmar Lins

Lisbela, filha do Tenente Guedes, delegado da Cadeia de Santo Antão, forma par amoroso com o funâmbulo Leléu, um Don Juan nordestino. Esse casal anticonvencional assume riscos em nome de sentimentos intensos. Lisbela foge com Leléu, no dia de seu casamento com Dr. Noêmio, advogado vegetariano, por isso mesmo personagem destoante do meio em que se encontra, prestando-se a alvo de muitas tiradas cômicas. 

♥Romances


O Cortiço – Aluísio Azevedo

A obra busca recriar a realidade dos agrupamentos humanos sujeitos à influência da raça, do meio e do momento histórico.  o-cortico-blog-gamesO predomínio dos instintos no comportamento do indivíduo, a força da sensualidade da mulher mestiça, o meio como fator determinante do comportamento são algumas das teses naturalistas defendidas pelo autor ao lado de denúncias sociais. O protagonista do romance é o próprio cortiço, onde se acotovelam lavadeiras, trabalhadores de pedreira, malandros e viúvas pobres.

Clique aqui e leia agora o primeiro capítulo de O Cortiço

Coração, cabeça e estômagoCamilo Castelo Branco

Neste livro, o leitor encontrará um dos momentos mais luminosos da obra do escritor – uma novela satírica, na qual o que dá a solda dos vários episódios soltos e razoavelmente simples é o estilo e o jogo entre as instâncias narrativas e autorais. 

Til José de Alencar

Segredos antigos, desencontros amorosos e renúncias estão presentes neste destacado romance regionalista, de 1872, em que Alencar documenta o cotidiano numa fazenda paulista do século XIX. Til é o apelido de Berta, a heroína capaz de imensos sacrifícios por um ideal.

Memórias Póstumas de Brás Cubas – Machado de Assis

download-gratis-bras-cubasPublicado em 1881, “Memórias póstumas de Brás Cubas” é um dos mais famosos romances de Machado de Assis, um marco na literatura brasileira. Narrado por um defunto autor, o livro aborda as experiências de um filho abastado da elite brasileira do século XIX, com uma voz irônica que se dirige constantemente ao leitor, a trama começa com o enterro de Brás Cubas, passa por seus delírios, volta à infância do personagem e, de forma mais ou menos linear, traz para o centro da cena vários episódios da vida desse excêntrico narrador.

Clique aqui e leia agora o primeiro capítulo de Memórias Póstumas de Brás Cubas

Terra SonâmbulaMia Couto

Um ônibus incendiado em uma estrada poeirenta serve de abrigo ao velho Tuahir e ao menino Muidinga, em fuga da guerra civil devastadora que grassa por toda parte em Moçambique. Depois de dez anos de guerra anticolonial (1965- 1975), o país do sudeste africano viu-se às voltas com um longo e sangrento conflito interno que se estendeu de 1976 a 1992. O veículo está cheio de corpos carbonizados. Mas há também um outro corpo à beira da estrada, junto a uma mala que abriga os ‘cadernos de Kindzu’, o longo diário do morto em questão. A partir daí, duas histórias são narradas paralelamente – a viagem de Tuahir e Muidinga e, em flashback, o percurso de Kindzu em busca dos naparamas, guerreiros tradicionais, abençoados pelos feiticeiros, que são, aos olhos do garoto, a única esperança contra os senhores da guerra.





Listinha nada modesta hen….

Sorte que estamos falando de livros e não de matemática se não a coisa iria ficar um pouquinho mais complicada hahaha

Bora todo mundo ler/estudar porque a gente P.O.D.E. fazer as duas coisas ao mesmo tempo 😉

Bom estudo

Boa sorte

e…

Para você, sempre…

Boas Leituras!

Boas Leituras!

♥♥♥ Xoxo S2 S2 S2 ♥♥♥

Keity Barros

Fontes Pesquisadas:

COMVEST 

G1 

 

 

 

Anúncios

Um comentário sobre “Cai na Prova #UNICAMP

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s