ASYLUM [#1 SAGA ASYLUM] – MADELEINE ROUX (RESENHA)

“A loucura é algo relativo. Depende muito do lado da grade em que a pessoa está.”

1477338604245

Asylum é o primeiro livro da série de Madeleine Roux e já deu muito que falar pelo mundo a fora. Inicialmente rolou um mal entendido, e muita gente ficou pensando que seria apenas um livro, e não uma série, o que gerou muitas críticas por causa do final nada esclarecedor.

A trama tem como personagem central Daniel Crawford, garoto super nerd de 16 anos que possui grande dificuldade de se socializar em sua escola. Dan cursa o penúltimo ano e já está contando os minutos para se ver livre do ensino médio e mergulhar de cabeça no mundo dos universitários, onde todos são  maduros e empenhados com os estudos, assim como ele, (Ahããããã).

Para aproveitar melhor o seu verão, Daniel se inscreve em um curso de férias no renomado Colégio Preparatório New Hampshire, onde pode escolher quais matérias se identifica para cursar nas cinco semanas que seguirão. É quase o paraíso dos estudiosos!

Acontece que o alojamento da universidade é um antigo manicômio que alojava os piores tipos de criminosos e que já deu muito que falar no passado e que rende muitas consequências na cidade ainda hoje. Lugar pra lá de assustador que todos os moradores da pequena cidade insistem em tentar derrubar. As histórias do que acontecia lá dentro são assombrosas e desumanas e não tarda até que Daniel e seus dois novos amigos, Abby e Jordan, resolvam fazer uma excursão clandestina pelo porão do lugar que está intacto, exatamente igual a como foi deixado tantos anos atrás.

“A construção era de pedra – pedras de um tom cinza escuro retiradas das montanhas impiedosas. Era uma casa destinada aos que não sabiam se cuidar sozinhos, aos que ouviam vozes, tinham pensamentos estranhos e tomavam atitudes estranhas. A função da casa era mantê-los lá dentro. Os que ali entravam jamais saíam.”.

A partir daí coisas muito estranhas, sinistras, assustadoras e improváveis começam acontecer à Daniel. Como se não bastassem seus lapsos de memória (coisa recorrente em sua vida), Dan começa a receber cartas anônimas com palavras sombrias e é como se tudo virasse um completo pesadelo. Talvez eles não estejam lá por simples coincidência. Talvez haja uma razão  para que tenham ido parar naquele lugar tão sombrio. Algo que eles não podem nem imaginar.

Por se tratar de uma história que envolve um antigo manicômio e todo o tipo de distúrbio psicológico que possa existir, Asylum deita e rola quando o assunto é confundir o que é real e o que é alucinação, o que de fato aconteceu e o que foi fruto de uma imaginação confusa. O suspense é constante, por mais que não seja um Senhor Terror, todo o ambiente e os personagens são sombrios, o que nos deixa tensos nos momentos de leitura.

Durante a história eu pensei em todas as teorias possíveis.  Imaginei desde que o livro envolvia espíritos até a boa e velha teoria de que TÁ É TODO MUNDO MUTCHO LOKO! Mas no final das contas quem quase enlouqueceu fui euzinha, hahaha.

“sentia como se estivesse abrindo uma caixa de Pandora – as possibilidades proporcionadas por uma incursão ao velho hospital pareciam atraentes demais para ser deixadas de lado”

Houveram algumas coisas que eu simplesmente amei! A primeira é que a tensão toda é psicológica, na maior parte do tempo eu fiquei apreensiva e soltava aqueles “óóóhh” quando uma coisa estranha acontecia e de vez em quando aparecia um susto que, não importava onde eu estivesse, exclamava “MEU DEUS!”, na frente de todo mundo.

A segunda coisa é que o livro poderia perfeitamente se tornar um filme! Consegui imaginar absolutamente tudo o que aconteceu, desde o primeiro até o último capítulo. O cenário, os personagens, as falas. É como se tudo tivesse sido escrito para um dia aparecer nas telonas.

Mas o que realmente me arrebatou, e foi o fator decisivo para eu querer comprá-lo, foi saber que por dentro ele é repleto de fotos REAIS de manicômios REAIS e pacientes REAIS! Fotos reais, gente!!! Tem como ser mais sinistro que isso?

1477338658878

Acho bom esclarecer que Asylum não é um terror maduro como os de Stephen King ou Caixa de Pássaros, achei a história um tanto rasa, nada magnificamente elaborada. Isso por que não é um livro adulto, é sim uma história infanto-juvenil, a linguagem é simplista e de fácil entendimento e os personagens são tão adolescentes quanto poderiam ser, mas isso de forma alguma o desqualifica ou o torna menos atraente.

De qualquer forma, Asylum me deixou pilhada até o último momento e conseguiu atender minhas expectativas, que já estavam altas. Já leu? Vai ler? Deixe nos comentários.

⊕⊕⊕

Título: Asylum

Título Original: Asylum

Autor: Madeleine Roux

Editora: V&R

Páginas: 336

Ano de Publicação: 2014

Gênero: Terror / Suspense

Avaliação: 1 ESTRELA1 ESTRELA1 ESTRELA1 ESTRELA

Anúncios

2 comentários sobre “ASYLUM [#1 SAGA ASYLUM] – MADELEINE ROUX (RESENHA)

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s